fbpx
SÍMBOLO DE REDENÇÃO DA SERRA, IGREJA DE SANTA CRUZ RECEBE PROJETO ‘SANTO DE CASA’

SÍMBOLO DE REDENÇÃO DA SERRA, IGREJA DE SANTA CRUZ RECEBE PROJETO ‘SANTO DE CASA’

Após o acerto dos últimos detalhes e de tomarem café reforçado, os integrantes do ‘Santo de Casa’ rumaram na manhã de sábado, 17 de julho, pelas Rodovias Oswaldo Cruz e Major Gabriel Ortiz Monteiro (SP-121) até a cidade de Redenção da Serra. Quase uma hora depois, a Kombi do Projeto Kilometrarte adentrou à Estrada Municipal de Paraibuna, acesso ao Centro Histórico ou ‘Cidade Velha’, como o povo redencense gosta de chamar. Pouco mais de 15 minutos no trajeto e eis que surge imponente em um vale à beira do rio Palmital a Igreja de Santa Cruz, matriz construída em 1882, remanescente do final do período colonial no Vale do Paraíba.

            Na porta, a equipe é recepcionada por Olair Braz, morador da localidade, que voluntariamente zela pelo edifício. Enquanto ajuda a descarregar os materiais e equipamentos, o jovem de 16 anos conta sobre o valor histórico, social e cultural do patrimônio tombado pelo CONDEPHAAT (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo). “A igreja foi desativada em 1974, quando construíram a represa e tinha-se a previsão de inundar toda essa área”, relata Braz, que desde os 09 anos de idade tornou-se ‘guardião’ do lugar. No altar, o artista plástico Alexandre de Morais (Xandi) arruma a exposição de santaria inspirada na arte das ‘paulistinhas’, minis esculturas características do interior do Estado, especialmente do Vale do Paraíba, nos séculos 18 e 19. “Estou encantando com o ambiente. Tem tudo a ver com o trabalho que desenvolvemos. As ‘paulistinhas’ são da mesma época da construção dessa igreja e, assim como boa parte dessas paredes, também são feitas de barro”, destaca.

            Pouco depois, chega o secretário de desenvolvimento econômico, cultura e turismo, Lucas Nogueira, acompanhado de Henrique Almeida, secretário de esportes e lazer da cidade. Os dois acordaram cedo para garantir a logística local como cadeiras, mesas, lanche e transporte para os inscritos no evento. Passava pouco mais do meio dia e meia quando os primeiros participantes chegaram, boa parte proveniente do bairro Pinheirinho. Após a visitação a exposição e as apresentações do proponente Luiz Claudio Daniel sobre o projeto e protocolos adotados em relação a Covid-19, cada integrante assumiu um lugar e começou a modelagem na argila.

            Entre as orientações do oficineiro Alexandre de Morais, o preparo do barro com borrifadas com água para dar o ponto de modelagem e as aparas de sobras de massa, as obras foram surgindo. Nossa Senhora Aparecida, Anjo Gabriel, São Francisco, Buda, Sagrado Coração de Jesus, Santa Teresinha, Divino Espírito Santo e São Benedito foram as iconografias religiosas escolhidas para representar a fé e devoção dos envolvidos na oficina. “Interessante foi ver como cada um tem metodologia própria para elaborar a peça. Uns preferiram fazer molde único e vir esculpindo os detalhes. Outros, fizeram a base e as partes separadas, para depois juntar”, conta Xandi.

            Após a primeira exposição dos integrantes, o lanche foi servido e, na sequência, foi promovida a entrega de certificado de participação. O ‘Santo de Casa’, é resultado de parceria entre o Projeto Kilometrarte e a TV Cidade Taubaté, com apoio do PROAC Expresso, programa de incentivo à cultura do Governo do Estado de São Paulo, edital 10/2019. Em Redenção da Serra contou com apoio do Instituto Santa Cruz do Paiolinho e da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Cultura e Turismo. O projeto já passou pelos municípios de São Bento do Sapucaí, Caçapava, Taubaté, Pindamonhangaba, Roseira e Lagoinha. O evento ainda está programado para ser realizado em Natividade da Serra, São Luiz do Paraitinga e Santo Antônio do Pinhal.